quarta-feira, 13 de Agosto de 2008

ABRIGOS

“Auxilia a erguer abrigos de ternura para as crianças abandonadas;
todavia, abraça em casa os filhinhos que Deus te deu,
conduzindo-lhes a mente infantil,
através do próprio exemplo, ao santuário do dever e do trabalho,
do amor e da educação.”


ABRIR

“Abre os ouvidos à sinfonia do bem, que se derrama em toda parte”.
Abre os olhos à contemplação da verdade que regenera e edifica.
Abre a mente aos ideais superiores que refundem a existência.
Abre os braços ao serviço salutar.
Descerra o verbo à exaltação da bondade e da luz.
Abre as mãos à fraternidade, auxiliando ao próximo.
Abre, sobretudo, o coração ao amor que nos redime,
convertendo-nos fielmente em companheiros
do Amigo Sublime das Criaturas,
que partiu do mundo, de braços abertos na cruz,
oferecendo-se à Humanidade inteira.”

Sem comentários: